Sindicatos argentinos anunciam greve geral contra medidas de Macri

  • Por Jovem Pan
  • 12/04/2019 06h37
EFEA Argentina vive uma crise econômica na qual a inflação atinge níveis altos e o câmbio sofre sucessivas desvalorizações

Os sindicatos argentinos anunciaram uma greve geral para o próximo dia 30 de abril no país. A paralisação deve afetar os transportes aéreo e terrestre, a coleta de lixo e distribuição de mercadorias.

O ato organizado pela Central Argentina de Trabalhadores tem como objetivo protestar contra as medidas econômicas do presidente Mauricio Macri.

A Argentina vive uma crise econômica na qual a inflação atinge níveis altos e o câmbio sofre sucessivas desvalorizações.

Além do empréstimo pedido ao Fundo Montério Internacional e de olho na reeleição, Macri discute medidas para conter o descontentamento da população. Uma das ideias é resgatar alguns planos de assistência criados nos governos antecessores de Néstor e Cristina Kirchner.

O governo pode retornar com os Preços Cuidados, uma lista de alimentos que não podem sofrer aumento de preços. Também deve ser lançado um plano de desconto em compras de supermercados para os cidadãos que recebem assistência social. As medidas têm como objetivo estimular o consumo, que vem caindo por causa da alta inflação.

Mauricio Macri ainda deve resgatar a compensação salarial, com aumento de 3% em maio e o aumento de 13% no “presentismo”, um bônus dado aos trabalhadores que não faltam.

O pacote de medidas será anunciado em um momento que a Argentina tem que seguir medidas estritas de corte de gastos. Como condição para receber a linha de crédito do FMI, o país deve atingir o equilíbrio fiscal ainda em 2019 e registrar superávit primário de 1% do PIB no ano que vem.

*Informações da repórter Nanny Cox