Sindicatos pedem bom senso para a implementação da redução de jornada e salários

  • Por Jovem Pan
  • 21/03/2020 08h02
EFE/EPA/VASSIL DONEVO presidente da União Geral dos Trabalhadores, Ricardo Patah, acredita que qualquer compensação deve ser tratada no futuro

Os sindicatos pedem bom senso entre patrões e funcionários para a implementação da redução proporcional de jornada e salários. A proposta consta de Medida Provisória editada pelo governo para atacar a crise gerada pela pandemia do coronavírus.

A flexibilização da CLT vai ser temporária e valer apenas no período em que durar a situação de emergência.

O secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, o Juruna, diz que o diálogo é importante para garantir a manutenção de empregos. Um exemplo dessa negociação vem da relação dos trabalhadores do comércio de São Paulo.

O presidente da União Geral dos Trabalhadores, Ricardo Patah, acredita que qualquer compensação deve ser tratada no futuro.

A Medida Provisória já está em vigor, mas precisa ser votada em 120 dias pelo Congresso para que não perca a validade. A MP também prevê facilitar o teletrabalho, a antecipação de férias individuais e a decretação de férias coletivas.

*Com informações do repórter Fausto Favara