Sob ameaça de greve, TST apresenta nesta quinta proposta de acordo entre Petrobras e funcionários

  • Por Jovem Pan
  • 19/09/2019 06h44
Divulgação/FUPO atual pacto coletivo venceu no dia 31 de agosto

Petroleiros ameaçam entrar em greve caso a mediação com a Petrobras no Tribunal Superior do Trabalho (TST) não termine com um acordo. O atual pacto coletivo venceu no dia 31 de agosto e a categoria tenta um reajuste dos salários com a estatal.

O coordenador geral da Federação Única dos Petroleiros (FUP), José Maria Rangel afirma que a categoria está com o mesmo acordo coletivo desde 2013. “Nós passamos, inclusive, pelos períodos em que a Petrobras apresentou prejuízo contábil, nós renovamos nosso instrumento. E agora que a Petrobras apresenta um lucro de R$ 25 bilhões no ano de 2018, ela vem querendo desmoronar o nosso acordo, o que obviamente não vamos aceitar’, declarou.

A estatal alega que já sugeriu outras propostas de acordo visando a sustentabilidade e a saúde financeira da empresa. O pedido de mediação no TST foi feito pela empresa, que diz estar aberta ao diálogo depois de ter participado de mais de 20 reuniões com os petroleiros.

As divergências do acordo coletivo se aprofundaram após o governo federal anunciar que estuda privatizar a estatal. O TST deve apresentar uma proposta de acordo nesta quinta-feira (19).

*Com informações da repórter Natacha Mazzaro