SP: Solidariedade contraria Marta e anuncia apoio a Márcio França

A ex-senadora Marta Suplicy, recém chegada ao partido, cobra o apoio ao atual prefeito Bruno Covas (PSDB)

  • Por Jovem Pan
  • 10/09/2020 05h59 - Atualizado em 10/09/2020 08h14
JÚLIO ZERBATTO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOEm contrapartida a postura da ex-senadora, o caminho de Márcio França seria o de justamente disputar o apoio de Bolsonaro

O partido Solidariedade pretende fechar apoio a candidatura de Márcio França à prefeitura de São Paulo. A cúpula da legenda tem reunião marcada com o pré-candidato do Partido Socialista Brasileiro (PSB) nesta quinta-feira, 10. O movimento contraria uma tendência defendida pela ex-senadora Marta Suplicy, recém chegada ao Solidariedade, que cobra o apoio ao atual prefeito Bruno Covas (PSDB). A convenção do Solidariedade está agendada para este domingo, 13.

Nos bastidores, o caminho do partido estaria ligado ao presidente Jair Bolsonaro. 
Marta, no entanto, considera que a coligação com Bruno Covas, e mais dez partidos, seria uma forma de construção da oposição a Bolsonaro em 2022, mesmo sem espaço para a ex-prefeita como vice do tucano. Em contrapartida a postura da ex-senadora, o caminho de Márcio França seria o de justamente disputar o apoio de Bolsonaro. Sábado passado, França acompanhou o presidente m agenda no Aeroporto de Congonhas, na capital paulista.

Além do Solidariedade, o ex-governador tem o apoio de Partido Democrático Trabalhista (PDT) e Avante. O presidente do Solidariedade, Paulinho da Força, também estaria no mesmo campo favorável a Bolsonaro e em busca dos seus votos na eleição para prefeitura, que acontecerá em novembro. Bruno Covas também não está longe do Centrão, já que terá o apoio do DEM, MDB, PL, PP, Pros, Podemos, PSC, PV e Cidadania. O Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) contava com o Solidariedade, já o havia inscrito na sua coligação, para a convenção tucana marcada para o sábado, 12.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos