SP cria programa para recuperar moradias em regiões em processo de regularização

Secretário da Habitação do Estado, Flávio Amary, explicou que objetivo do Viver Melhor é dar ‘melhores condições’ para as famílias

  • Por Jovem Pan
  • 21/07/2021 09h13 - Atualizado em 21/07/2021 11h30
Charles Sholl - Estadão ConteúdoNeste primeiro momento, o foco do Viver Melhor são 450 famílias que moram na altura do quilômetro 20 da Via Anchieta

O Estado de São Paulo lança, nesta quarta-feira, 21, o programa Viver Melhor, que visa recuperar moradias em assentamentos precários que estão em regiões passíveis ou em processo de regularização. Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, o secretário estadual de Habitação, Flávio Amary, explicou detalhes do projeto. De acordo com ele, diferente de outros programas, o Viver Melhor não tem o objetivo de construir novos empreendimentos. Em vez disso, a meta é realizar reformas, como melhorar piso, ventilação, esgoto, abastecimento de água e impermeabilidade dos imóveis. “É importante entender o déficit habitacional para criar soluções personalizadas. Para cada problema, uma solução.”

Flávio Amary destacou que, seguindo determinações do governador João Doria e do vice Rodrigo Garcia, o programa vai atender a população mais carente que vive em áreas irregulares melhorando condições de habitabilidade, salubridade e acessibilidade. Neste primeiro momento, o foco do Viver Melhor são 450 famílias que moram na altura do quilômetro 20 da Via Anchieta, em São Bernardo do Campo. “Muitas vezes fazemos remoção das famílias, colocamos em outras casas e, muitas vezes, elas vendem o que a gente deu e elas voltam para a área de risco. Entendendo essa dificuldade, buscamos uma alternativa. Fizemos um programa inovador, que busca regularizar e fazer investimentos. Fazer com que essas famílias tenham condições, até por conta da pandemia.” O cadastro das primeira famílias já foi feito. A meta, no entanto, é atingir 4,5 mil famílias da região metropolitana com R$ 90 milhões de investimento entre 2021 e 2022.