SP espera dobrar exportações para os Emirados Árabes em três anos

  • Por Jovem Pan
  • 14/02/2020 07h48
Governo de São PauloGoverno de São Paulo mantém conversas com investidores dos Emirados Árabes

O Governo de São Paulo espera dobrar as exportações aos Emirados Árabes em no máximo três anos. Essa é a projeção do presidente da Investe SP, Wilson Melo. Atualmente, são US$ 18 bi em produtos exportados que seguem ao país do Oriente Médio.

“Nós estamos pensando não só nas exportações de São Paulo para os Emirados Árabes, mas também a utilização dos Emirados Árabes como plataforma para exportação para o resto do Oriente Médio, norte da África e Ásia.”

O embaixador do Brasil nos Emirados Árabes, Fernando Igreja, indica as áreas com maior potencial de investimento. “Nós já temos uma posição bastante boa na área do agronegócio aqui. Além disso, temos as áreas de inovação e ciência e tecnologia. São áreas novas, que os contatos têm aumentado e podem ser exploradas pelas nossas empresas.”

O professor de transportes da Fundação Getúlio Vargas, Rodrigo Vilaça, destaca que não são apenas as exportações que estão no foco. Ele ressalta que é preciso uma saída para a infraestrutura do país, e isso só ocorrerá com o apoio da iniciativa privada.

“O potencial de investidores dessa região é grande, já são participantes de alguns projetos do Brasil em portos, rodovias, ferrovias, quem sabe, e até mesmo na área de transporte metropolitano. Atraindo e trazendo recursos, capital estrangeiro para, em parceria com empresas brasileiras, realizar essas obras com maior fundamento e gestão.”

Já o diretor superintendente do Sebrae-SP, Wilson Poit, tem a expectativa da elevação na produtividade. “Além desse PIB previsto, bem maior, aumentando a produtividade dos pequenos negócios. O Sebrae trabalha fortemente com o intercâmbios como esse, mesmo no Brasil, de uma maneira a melhorar a produtividade do microempreendedor. Desse jeito, a gente melhora o ponteiro do PIB e a empregabilidade no Brasil.”

Para os empresários, esse incremento só será possível se o país soltar as travas da burocracia. Eles ressaltam que é importantíssima também, a aprovação da reforma tributária com urgência.