São Paulo: Prefeitura fecha 91 bares no primeiro sábado após reabertura

Os proprietários dos estabelecimentos interditados deverão pagar uma multa de R$ 9.380; as zonas norte e leste registraram o maior número de infrações às novas regras

  • Por Jovem Pan
  • 13/07/2020 06h25 - Atualizado em 13/07/2020 08h22
CLAUDIA MARTINI/AM PRESS & IMAGES/ESTADÃO CONTEÚDOPara reabrir, os bares e restaurantes precisam manter um distanciamento de dois metros entre as mesas e só podem receber até 40% da ocupação máxima

A Prefeitura de São Paulo interditou 91 bares no primeiro sábado (12) após a reabertura dos estabelecimentos na capital. Os proprietários deverão pagar uma multa de R$ 9.380 pela interdição. As zonas norte e leste registraram o maior número de infrações às novas regras de funcionamento na pandemia.

Na vila Madalena, reduto boêmio da cidade, muitos clientes continuaram nas ruas após o fechamento das portas, às 17h. O secretário municipal das Subprefeituras, Alexandre Modonezi, lembra que não é proibido ficar na rua, mas pede que as aglomerações sejam evitadas. Na região central, no entanto, alguns estabelecimentos ignoraram as normas e continuavam funcionando no começo da noite.

Para reabrir, os bares e restaurantes precisam manter um distanciamento de dois metros entre as mesas e só podem receber até 40% da ocupação máxima. As máscaras podem ser retiradas na hora de comer e beber, mas o consumo nas calçadas continua proibido. Mesmo com a reabertura, a principal queixa dos empresários do setor é o horário limitado de funcionamento. Dono de uma rede de bares na cidade, Alessandro Ávila afirma que só reabriu algumas unidades após o apelo de funcionários e clientes.

A capital segue na fase amarela do plano de retomada econômica, que leva em consideração o ritmo de contágio e a capacidade de atendimento. Na Grande São Paulo, a taxa de ocupação das unidades de terapia intensiva (UTIs) por pacientes da Covid-19 era de 64,6% no domingo (13). Já são quase 372 mil casos confirmados da Covid-19 em todo o estado. Ao todo, 17.848 pessoas morreram por causa da doença.

*Com informações da repórter Nanny Cox