SP tem segunda noite de protestos após assassinato de adolescente

  • Por Jovem Pan
  • 17/06/2020 06h57 - Atualizado em 17/06/2020 08h10
ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDOOs participantes seguravam cartazes com a foto da vítima; eles pediam justiça pela morte do adolescente de 15 anos

Manifestantes voltaram às ruas nesta terça-feira (16) em protesto após o assassinato do adolescente Guilherme da Silva Guedes na Zona Sul de São Paulo. Os atos começaram por volta das 16h com uma passeata pacífica na região do Jabaquara, onde aconteceu o crime.

Os participantes seguravam cartazes com a foto da vítima; eles pediam justiça pela morte do adolescente de 15 anos. No início da noite, parte dos manifestantes ateou fogo em objetos e a tropa de choque foi acionada em diversas vias da região.

De acordo com a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU), um ônibus foi depredado próximo ao Terminal Diadema e outro foi apedrejado na Avenida Engenheiro Armando de Arruda Pereira. No ato de segunda-feira (15), manifestantes bloquearam vias e incendiaram sete ônibus na mesma região do Jabaquara.

O corpo de Guilherme da Silva Guedes foi encontrado domingo no bairro de Americanópolis, horas depois do desaparecimento, na madrugada do mesmo dia. Segundo a TV Globo, dois policiais militares são suspeitos de participação no crime. Eles estariam fora de serviço, fazendo bico de segurança; a suspeita dos investigadores é que os PMs teriam confundido a vítima com pessoas que roubaram objetos de uma empresa.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública afirmou que imagens de câmeras de segurança estão em análise e, caso confirmada a participação policial no crime, medidas cabíveis serão adotadas.

*Com informações da repórter Letícia Santini