SP: Com reabertura a partir desta segunda, bares, restaurantes e salões de beleza reclamam de restrições

  • Por Jovem Pan
  • 06/07/2020 07h21 - Atualizado em 06/07/2020 08h33
Wilton Júnior/Estadão ConteúdoPara muitos, não compensa abrir durante o dia, arcar com os custos, sendo que o movimento maior é acontece durante a noite, principalmente os bares da cidade

A decisão de permitir a reabertura dos bares, restaurantes e salões de beleza em São Paulo até as 17h gerou insatisfação e duvidas por parte dos representantes do setor. Para muitos, não compensa abrir durante o dia, arcar com os custos, sendo que o movimento maior é acontece durante a noite, principalmente os bares da cidade.

No sábado, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas assinou os protocolos para a reabertura dos estabelecimentos. O presidente da Câmara Municipal, vereador Eduardo Tuma, esteve presente na reunião e pediu para que o governo do Estado repense no horário de fechamento.

Ao todo, existem em todo o estado aproximadamente 230 mil salões de cabeleireiro. Segundo o Sebrae, 30% desses estabelecimentos decretaram falência. Marcos Coraza, gestor do Gilberto Cabeleireiros diz que a reabertura é perigosa, porque ha uma limitação do horário e com isso, menos distanciamento entre os clientes

Os bares e restaurantes só poderão funcionar durante o dia, por seis horas diárias, e devem fechar as portas até 17h. A ocupação deve ser limitada a 40% da capacidade máxima. Os salões de beleza também devem receber até 40% do público por seis horas diárias.

*Com informações do repórter Victor Moraes