SP começa a registrar ‘redução lenta e progressiva’ da Covid-19, diz coordenador da saúde

Segundo Paulo Menezes, é possível observar redução no número de internações pela doença na capital paulista e na Grande São Paulo

  • Por Jovem Pan
  • 02/07/2020 08h49 - Atualizado em 02/07/2020 08h59
EFE/Fernando Bizerra Jr/ArchivoPaulo Menezes explica que o entendimento é baseado, sobretudo, na observação da redução no número de internações pela doença na capital paulista e na Grande São Paulo

O Estado de São Paulo registra o início de uma redução lenta e progressiva das contaminações pelo coronavírus. A informação é do coordenador do Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde, Paulo Menezes. Segundo ele, no entanto, é necessário um maior período de análise para ter “total clareza da situação”.

A afirmação do coordenador, em entrevista ao Jornal da Manhã desta quinta-feira (2), acontece um dia após o governador João Doria afirmar que “estamos muito próximos do platô da pandemia no Estado”. Ou seja, momento de desaceleração das transmissões da Covid-19.

Paulo Menezes explica que o entendimento é baseado, sobretudo, na observação da redução no número de internações pela doença na capital paulista e na Grande São Paulo. Em contrapartida, as avaliações sugerem um número crescente de casos no interior, em regiões vermelhas para o Plano São Paulo, o que vem sendo avaliado diariamente.

“Com essas medidas de isolamento [adotadas pelas regiões] a expectativa é que nas próximas semanas tenha uma estabilização [dos casos] e, posteriormente, um declínio ao longo desse mês, se o isolamento social for eficiente.”

Ao ser questionado sobre a possibilidade da retomada econômica influenciar no aumento de casos, o coordenador ressaltou que “a reabertura só está ocorrendo em áreas onde temos números indicando um situação mais estável, ou em uma região em que o que se classifica início de redução”.

Paulo Menezes acredita que com as medidas adotadas é possível “retomar atividades que tinham sido suspensas”, embora o retorno à normalidade aconteça apenas após a descoberta de uma vacina.

“Certamente não vamos voltar rapidamente a situações como antes da pandemia. O uso de máscara, por exemplo, que se mostrou importante, ele tem que fazer parte da nossa vestimenta todos os dias. Isso nós vamos fazer por um bom tempo, até que toda a população esteja protegida.”