SP reforça policiamento nas divisas após fuga de bando do PCC no Paraguai

  • Por Jovem Pan
  • 21/01/2020 06h14
Reprodução/GoogleMapsNo domingo (19), ao menos 76 presos ligados ao PCC fugiram da penitenciária de Pedro Juan Caballero

A Polícia do Paraguai recapturou um segundo homem que fugiu da penitenciária de Pedro Juan Caballero, na divisa com o Brasil. Trata-se de Sabio Darío González Figueredo, que cumpria pena por roubo e estava escondido em uma casa a 200 metros da prisão.

Antes, em Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul, outro fugitivo — o brasileiro Eduardo Alves da Cruz, preso por tráfico de drogas — também foi recapturado.

Segundo o ministério do Interior paraguaio, estas prisões são os primeiros resultados de um trabalho coordenado entre as autoridades dos dois países.

No domingo (19), ao menos 76 presos ligados ao PCC fugiram da penitenciária de Pedro Juan Caballero. Eles cavaram um túnel na prisão, mas a maioria teria saído em vans pelo portão principal da penitenciária.

Dos fugitivos, 40 são brasileiros e 36 paraguaios.

A ministra da Justiça do Paraguai, Cecilia Perez, denunciou que os integrantes da facção criminosa teriam pago a agentes penitenciários US$ 80 mil para facilitar a fuga. O diretor do presídio e outros 30 agentes carcerários foram presos e afastados dos cargos a pedido do Ministério Público paraguaio.

Além disso, o vice-ministro de Política Criminal do Paraguai, Hugo Volpe, renunciou ao cargo. Ele era conhecido no país pelo enfrentamento ao PCC e, antes de ocupar a posição, foi procurador por 19 anos, época em que prendeu diversos líderes de facções criminosas.

Volpe é acusado por autoridades brasileiras de corrupção no Ministério Público paraguaio. Até agora, não está claro se o esquema estaria relacionado com a fuga de domingo.

Segundo a procuradora-geral do Paraguai, Sandra Quiñonez, as instituições estão trabalhando para responsabilizar os culpados.

Em razão da fuga, a Polícia Militar de São Paulo reforçou o patrulhamento em todo o estado, em especial nas rodovias e divisas. Desde domingo, mais de 6 mil viaturas e 13 mil policiais já estão dedicados à operação.

Segundo a corporação, o efetivo será ainda maior nas próximas horas.

Em Mato Grosso do Sul, o policiamento também foi reforçado.

*Com informações do repórter Afonso Marangoni