SP testará parentes de infectados e pode isolar famílias para evitar contágio

  • Por Jovem Pan
  • 10/07/2020 06h22 - Atualizado em 10/07/2020 07h54
EFE/EPA/MURTAJA LATEEFO secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, diz que a ação será feita nos 14 distritos de São Paulo com maior incidência da doença

Quatro meses depois do primeiro caso confirmado da Covid-19, o governo de São Paulo vai monitorar quem teve contato com pessoas infectadas. Segundo a gestão João Doria, 98% dos municípios paulistas já fazem esse controle, mas os dados vinham sendo reunidos de forma isolada. Agora, o Estado quer unificar as informações e padronizar os protocolos para todas as cidades.

A secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, informou que o projeto piloto da ferramenta teve início na segunda-feira em São Bernardo do Campo, Campinas e Araraquara.

A capital paulista é uma das cidades que já faz o monitoramento por conta própria; além disso, a cidade vai ampliar a testagem de pessoas que tiveram contato com contaminados pela Covid-19. A partir da próxima segunda-feira, quando houver a confirmação de um caso, a Prefeitura vai fazer exames em cinco pessoas da família do infectado. O secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, diz que a ação será feita nos 14 distritos de São Paulo com maior incidência da doença.

De acordo com o resultado da fase um do inquérito sorológico divulgado pela prefeitura de São Paulo nesta quinta-feira, a cidade teria 1,2 milhão infectados pela Covid-19. O número é quase sete vezes maior do que o registro oficial de casos, que aponta 144.573 contaminados.

Até a quinta-feira, o estado de São Paulo registrou mais de 349 mil casos, sendo 8.350 apenas nas últimas 24 horas. Ao todo, 17.018 pessoas perderam a vida por causa da doença.

*Com informações da repórter Beatriz Manfredini