SP trabalha em conjunto com prefeituras para conter dengue, zika e chikungunya

  • Por Jovem Pan
  • 11/02/2020 06h26
Reprodução/FlickrMesmo com a ameaça do coronavírus, Dengue ainda é a maior preocupação do país, diz assessora do Conselho dos Secretários Municipais de Saúde

Autoridades do Estado e dos municípios de São Paulo se reuniram com especialistas para discutir meios de lidar com a proliferação da dengue.A Secretaria da Saúde Estadual de São Paulo promoveu, nesta segunda-feira, a abertura da primeira semana de Mobilização contra o Aedes Aegypti de 2020.

O objetivo das atividades, que vão até sexta-feira, é engajar as prefeituras na luta contra o mosquito, que transmite dengue, zika vírus e chikungunya. O Secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann, destacou a importância do envolvimento de todos os setores da população no combate ao inseto.

“O mais importante para isso está na mão das secretarias municipais, do agente de saúde, que vai até a casa das pessoas, como também a imprensa, que tem como nos ajudar nos entido da conscientização das famílias.”

Entre janeiro de 2019 e janeiro de 2020, o número de casos de dengue caiu mais da metade no Estado. Foram 24.640 registros no ano passado, com 17 mortes, contra 10. 890 casos e dois óbitos neste ano.

Mesmo com a diminuição, o coordenador de Controle de Doenças do Estado, Paulo Menezes, ressaltou que a doença tem alcançado municípios antes pouco atingidos. “Há algumas áreas, em muitos municípios com infestação importante”. Alguns exemplos são São José do Rio Preto, que registrou 2.679 casos em janeiro e Taubaté e Presidente Prudente, com cerca de 1.500 casos cada um.

Lidia Silveira, assessora técnica do Conselho de Secretários Municipais de Saúde, lembrou que mesmo com a possibilidade de o Brasil receber o coronavírus, a dengue deve continuar sendo o foco principal de discussão. “Apesar de estarmos agora vivendo a possibilidade de entrada de um novo vírus, a dengue continua sendo o nosso grande problema de saúde pública”. A especialista afirmou, ainda, que o conselho está trabalhando para aprovar, com os membros do colegiado do Sistema Único de Saúde (SUS), a ampliação dos repasses aos municípios.

O objetivo é que as prefeituras recebam mais dinheiro para investir no combate ao mosquito e melhorar as formas de prevenção e detecção da dengue.

* Com informações da repórter Beatriz Manfredini.