SP: três em cada 10 moradores têm genes portugueses ou espanhóis

  • Por Jovem Pan
  • 03/02/2020 07h26
Rafael Neddermeyer/Fotos PúblicasEspanhóis, portugueses, alemães e franceses são maioria entre os imigrantes em São Paulo

São Paulo é uma das cidades do mundo que mais recebe turistas e novos moradores. Todo o dia chega alguém de algum canto do mundo. O resultado disso é uma miscigenação de vários povos e culturas. Hoje, 3% da população paulistana é composta por imigrantes, e 32% dos imigrantes do Brasil estão em São Paulo.

Com base nisso, a Genera, laboratório que realiza testes de ancestralidade, realizou um levantamento sobre os habitantes da Terra da Garoa. Foram analisados 700 mil pontos do DNA de cada pessoa que reside na capital paulista e a conclusão foi que 30% dos genes predominantes é o ibérico, representados por Espanha e Portugal. 

No Brasil há 10 anos, o chefe de cozinha catalão Óscar Bosch é dono do restaurante Tanit e do Nit Bar de Tapas, pontos de encontro dos espanhóis que moram aqui. Ele conta que São Paulo o faz querer sempre mais, e que hoje não pretende voltar para a sua terra natal tão cedo.

“É uma cidade que vibra de dia, é uma cidade que acorda muito cedo, todo dia tem uma intensidade muito frenética. Sempre tem alguma nova, algo acontecendo. Minha intenção é ficar no Brasil. Hoje estou muito bem adaptado aqui, a cidade me acolheu muito bem. Não só a cidade, o país inteiro. Eu sou apaixonado pelo Brasil, já me sinto metade catalão, metade brasileiro.”

Também há cerca de 10 anos em São Paulo, o português Carlos Moura tem 46 anos é sócio da Importadora de Vinhos e Azeites Portugueses Vinhas do Douro. Ele imigrou por conta das oportunidades e dos negócios, hoje tem um filho que nasceu por aqui e não se cansa de elogiar a cidade que escolheu para morar.

“Eu tenho contato com a comunidade portuguesa, muito da comunidade está ligado ao nosso setor, de vinhos, restaurantes, padarias, da própria importadora também. Alguns portugueses estão aqui trabalhando. Não conheço muita gente, mas conheço algumas pessoas que estão dentro do setor, digamos. Costumo dizer aos meus amigos de Portugal que São Paulo é a melhor cidade do mundo para se morar com dois fatores: tempo e grana”, conta.

Moura não deixa de lembrar que São Paulo também têm seus pontos negativos. “É uma cidade fantástica, com opções culturais muito boas no nosso setor de vinhos, restaurantes muito bons, muita diversidade. Há dois sinais aqui em São Paulo que me deixam um pouco cansado, o trânsito e a questão da segurança. De resto, é espetacular”.

Depois dos portugueses e espanhóis, 17% dos imigrantes vem da Europa Ocidental como Alemanha, França e Países Baixos. Surpreendentemente, italianos ficam apenas na terceira colocação, com 10%. 

Sírios, haitianos, bolivianos, venezuelanos, angolanos e moçambicanos constam entre os que mais têm chegado à cidade atualmente. 

* Com informações do repórter Victor Moraes.