SP vai cobrar ressarcimento da Bombardier por dias parados da Linha 15-Prata

Estimativa é que o prejuízo ultrapasse R$ 1 milhão diariamente

  • Por Jovem Pan
  • 07/03/2020 10h10
Reprodução/YoutubeApós uma semana, trens do monotrilho da Linha 15-Prata, que ligam São Matheus a Linha Prudente, ainda estão parados

Após uma semana, trens do monotrilho da Linha 15-Prata, que ligam São Matheus a Linha Prudente, ainda estão parados. Passageiros que utilizam o trecho enfrentam transtornos para achar outras alternativas de transporte público.

O rompimento de um pneu em uma composição provocou a paralisação. Testes foram realizados, mas a interrupção permanece sem previsão de volta. Toda a frota está sendo inspecionada pelo Metrô e pela fabricante Bombardier, a fim de garantir a retomada da operação com segurança.

O secretário de Transportes Metropolitanos do Estado, Alexandre Baldy, disse que vai cobrar ressarcimento do consórcio responsável pela administração do monotrilho. “A estimativa é que esse prejuízo ultrapasse R$ 1 milhão diariamente, que será motivo de busca de ressarcimento ao consórcio. Todo o consórcio é responsável pela paralisação e pelos custos, seja da não operação, seja de todo o sistema Paese que o Estado tem disponibilizado, ônibus articulados sem custo para os cidadãos que utilizam a Linha 15-Prata”.

Já a SPTrans afirma que o plano de atendimento entre empresas de transporte em situação de emergência, Paese, está sendo acionado pelo Metrô entre as estações São Matheus e Vila Prudente das 4h20min até o fim da operação do dia.

* Com informações do repórter Daniel Lian