Substituto de Bebianno, Floriano Peixoto diz que não vai se envolver em articulação com o Congresso

  • Por Jovem Pan
  • 27/02/2019 06h52
Agência BrasilSegundo o ministro, a Secretaria-Geral vai ter uma atuação técnica: “eu não tenho nenhuma atribuição de fazer interlocução com as Casas legislativas"

O secretário-geral da Presidência, Floriano Peixoto, disse nesta terça-feira (26) que não vai desempenhar o papel de interlocutor político do Governo junto ao Congresso Nacional.

A declaração foi dada no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo, onde ele participou de um evento sobre o ambiente de negócios, acompanhado do governador do Estado, João Doria.

Segundo o ministro, a Secretaria-Geral vai ter uma atuação técnica: “eu não tenho nenhuma atribuição de fazer interlocução com as Casas legislativas. Essa é atribuição da Casa Civil. Minha Secretaria é eminentemente técnica naquilo que suas secretarias a compõem”.

Ele destacou que poderá ocorrer diálogos sem desempenhar a função da Casa Civil.

Questionado se haveria um vácuo na função de articulador, porque o ex-ministro Gustavo Bebianno desempenhava esse papel, Floriano Peixoto disse que o Governo está em uma nova configuração: “estamos em nova configuração assumindo o que a Secretaria-Geral deve fazer segundo seu regimento interno”.

O ministro Floriano Peixoto destacou que a interlocução com o Congresso, fica a cargo do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. Já o diálogo com os Estados e municípios é desempenhado pelo general Carlos Alberto Santos Cruz, da Secretaria de Governo.

*Informações do repórter Afonso Marangoni