Sucesso de empresa se deve ao maior preparo do empreendedor, aponta diretor do Sebrae-SP

  • Por Jovem Pan
  • 21/11/2017 09h41
Divulgação/Google"Se a pessoa abriu uma empresa por oportunidade ela tem mais chance de dar certo do que se abriu por necessidade”, explicou

Em momentos de instabilidade no emprego formal, muitas pessoas buscam a estabilidade no empreendedorismo e vê nisso a oportunidade de trazer sustento para sai e/ou para sua família. No momento da crise, uma figura que ficou bastante conhecida foi a do MEI (Microempreendedor Individual), em um sinal claro de desburocratização.

“Basta desburocratizar a legislação que as pessoas respondem. Hoje basta ir ao portal do empreendedor, fazer sua inscrição e já consegue sair com CNPJ na hora. Mais de 6,5 milhões de pessoas acabaram aderindo a esse programa, mas ainda é insuficiente para dar conta às necessidades dos empreendedores”. A afirmação é do diretor do Sebrae-SP, Bruno Caetano.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, Bruno Caetano destacou que o índice de empresas que fecham após dois anos vinha caindo. Atualmente está em 23 que não completam dois anos de vida dentro de um grupo de 100 empresas.

“Dado que precisa ser comemorado no Brasil. Passava de 60%, reduziu e se deve ao maior preparo dos empreendedores. Se a pessoa abriu uma empresa por oportunidade ela tem mais chance de dar certo do que se abriu por necessidade”, explicou.

Ajuda do Sebrae

Só no Estado de São Paulo há mais de 1,2 mil consultores que realizam atendimento presencial e remoto aos empreendedores. 95% dos atendimentos são gratuitos, quando há contrapartida financeira, ainda é subsidiada, a 20% do custo real.

O empreendedor também pode ligar para o número 0800-570-0800 e marcar um diagnóstico da empresa, a partir daí o Sebrae analisa o grau de maturidade em vários quesitos e é, então, feito um plano de trabalho para a empresa se estruturar.

Crédito com o Sebrae

Bruno Caetano deu a boa notícia aos empreendedores: banco só empresta para quem não precisa. A gente tem tentado driblar isso com programas próprios, como o Super MEI com linha de crédito de até R$ 25 mil a juros zero. Para devolver em 36 meses.

“Mas tem pré-requisito como empresa aberta, CNPJ e ter feito plano de negócio aprovado pelo Sebrae”, explicou.

Confira a entrevista completa com Bruno Caetano, diretor do Sebrae-SP: