‘Superfungo’ preocupa comunidade médica ao redor do mundo

  • Por Jovem Pan
  • 12/04/2019 06h27 - Atualizado em 12/04/2019 10h32
Centers For Disease Control and Prevention (CDC)O superfungo ataca pessoas com sistema imunológico enfraquecido, e até agora, não conseguiu ser combatido por nenhum tipo de medicamento

O fungo conhecido como Candida Auris tem se espalhado rapidamente pelo mundo, causando preocupação entre médicos e cientistas.

O superfungo ataca pessoas com sistema imunológico enfraquecido, e até agora, não conseguiu ser combatido por nenhum tipo de medicamento, sendo considerado como muito resistente. Ele é transmitido em ambientes hospitalares por meio de materiais como estetoscópios, macas e termômetros.

O infectologista do Instituto de Emílio Ribas, Jean Gorinchteyn, explicou que o Candida Auris é de difícil higienização e fácil contágio, mas atentou que nem todas as pessoas correm risco: “pacientes em risco de desenvolver isso são especialmente aqueles que tenham doença grave, internados em UTI por períodos prolongados, tenham feito múltiplos esquemas de antibióticos”.

O médico afirmou que a Comissão de Infecção Hospitalar brasileira realiza uma vigilância periódica em pacientes de risco.

O fungo foi identificado pela primeira vez em 2009, no Japão. Desde então, casos foram registrados em mais de 20 países, entre eles a Venezuela. A ameaça ganhou destaque recentemente após o caso de um paciente em Nova York chamar atenção da mídia.

Outros casos em Nova Jersey e Illinois também surgiram e fizeram com que os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos incluíssem o fungo na lista de “ameaças urgentes”. Não há casos registrados no Brasil.

*Informações da repórter Victoria Abel