Suspeita de mortes por meningite no Complexo de Gericinó muda rotina de detentos e agentes

  • Por Jovem Pan
  • 11/04/2019 06h13
Reprodução/Wikimedia CommonsA Secretaria de Administração Penitenciária disse que as entradas e saídas do presídio estão suspensas por tempo indeterminado e as visitas estão proibidas

A Secretaria de Administração Penitenciária do Estado do Rio de Janeiro realiza exames em dois detentos que morreram recentemente no Conjunto Penitenciário de Gericinó. A suspeita é de que eles tenham morrido em virtude de meningite bacteriana.

Os resultados devem sair nos próximos dias, mas preventivamente a Seap já iniciou o tratamento e imunização dos que tiveram contato com os dois presos.

Os 1.750 detentos do Presídio Paulo Roberto Rocha onde estavam detidos os dois homens estão sendo imunizados, assim como agentes penitenciários e servidores que tiveram contato com eles.

A Secretaria de Administração Penitenciária disse que as entradas e saídas do presídio estão suspensas por tempo indeterminado e as visitas estão proibidas. Presos em regime semiaberto não poderão deixar a penitenciária por ora.

*Informações do repórter Rodrigo Viga