Tebet não descarta candidatura avulsa caso Renan dispute Presidência do Senado pelo MDB

  • Por Jovem Pan
  • 23/01/2019 09h42
Waldemir Barreto/Agência Senado Waldemir Barreto / Agência Senado "Eu disputo dentro do MDB. Ganhando, sou candidata e ele pode ser candidato avulso. A recíproca é verdadeira", disse a senadora

Pré-candidata do MDB para a disputa pela Presidência do Senado, Simone Tebet disse que a disputa dar-se-á primeiramente na bancada do partido e, caso não seja escolhida, pode lançar-se de forma independente.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, Tebet ressaltou que oficialmente é candidata dentro da bancada do MDB, mas que uma reunião marcada para a próxima semana decidirá o nome emedebista para disputar a cadeira do comando da Casa. Hoje, a expectativa é que o senador Renan Calheiros seja um “entrave” para a candidatura direta e sem oposição interna da senadora.

“Dia 29 pode ter reunião. Eu disputo dentro do MDB. Ganhando, sou candidata e ele pode ser candidato avulso. A recíproca é verdadeira. Entendendo que, se eu perder tendo só meu voto é uma coisa. Mas com a disputa mais acirrada, avaliarei se faço candidatura avulsa”, disse. “Uma vez sendo derrotada, minha estratégia dependerá da força política para derrotar o MDB no Senado”.

A candidatura avulsa não é totalmente descartada por Simone Tebet já que senadores de outros partidos demonstraram apoio ao seu nome e até chegaram a falar em desistências de seus partidos para apoiá-la.

“Cada dia com sua agonia”, afirmou a emedebista.

Mas a senadora fez uma ressalva sobre o suposto favoritismo de Renan Calheiros na disputa pela Presidência do Senado: “não sei se ele tem maioria da bancada hoje”. Ela lembrou que quatro senadores do MDB já apoiaram e estimularam a sua candidatura. “Há um sentimento na bancada do MDB de se reinventar e não sucumbirmos”, completou.

DEM disputa vaga

Segundo Simone Tebet, o DEM fez uma “movimentação desastrosa” ao desdizer o que declarou o presidente Jair Bolsonaro de que não se envolveria na disputa no Congresso – tanto Câmara quanto Senado.

“Houve movimentação desastrosa do DEM desdizendo que o presidente disse e com isso lançando o ‘candidato oficial’ do Governo, que hoje é do DEM. E, sendo assim e percebendo essa movimentação, entendo que pelo bem da democracia não é possível ter hegemonia de um partido comandando Câmara, Senado e Casa Civil”, explicou.

Liderança do MDB

Simone Tebet ressaltou que não precisa estar na Presidência da Casa para expor sua opinião sobre a reforma da Previdência. Ela declarou a “independência a favor do País”.

“É hora de parar com divisões político-partidárias e pensar no País. Sendo presidente ou senadora, defendo a independência a favor do país e que o MDB tena humildade em reconhecer seus erros e voltar às suas origens. Somos conhecidos como um partido ‘toma lá dá cá’, mas eu não pertenço a essa escola”, esclareceu.

Ela declarou ainda que não disputará a liderança do MDB no Senado porque precisa de independência para dizer o que pensa. “Sobre a reforma da Previdência, eu sou a favor da reforma independentemente do cargo que ocupe, desde que não prejudique ainda mais os injustiçados”, finalizou.

Confira a entrevista completa com a senadora Simone Tebet: