Telemedicina é caminho recomendado para gestantes continuarem o pré-natal na pandemia

  • Por Jovem Pan
  • 16/05/2020 08h01
Na hora de realizar os exames físicos, alguns cuidados podem ser tomados, tanto pela paciente, quanto pela clínica

Em meio à pandemia da doença causada pelo novo coronavírus, algumas gestantes podem ficar receosas de sair para fazer as consultas e os exames do pré-natal. Mas o acompanhamento deve continuar sendo feito, já que ele pode prevenir ou detectar alguma doença na mãe ou no bebê.

Isso não significa que o pré-natal precisa acontecer da mesma forma que antes da pandemia: a telemedicina, já aprovada pelo Congresso, é uma ferramenta.

A ginecologista e obstetra Naira Scartezzini classifica essa nova forma de atendimento como um dos “grandes trunfos” que médicos e pacientes possuem neste momento.

Na hora de realizar os exames físicos, alguns cuidados podem ser tomados, tanto pela paciente, quanto pela clínica. A gestante precisa usar máscaras e álcool em gel, enquanto os consultórios podem deixar espaços maiores entre um agendamento e outro e higienizar bem o ambiente.

A nutricionista e personal trainer Karol Ribeiro está no 4º mês de gestação. Ela conta que há dois meses está se encontrando com a médica dela por videoconferência e que em nenhum momento se sentiu desassistida.

A ginecologista e obstetra Naira Scartezzini diz que o mais importante é garantir que a gestante ficará o menor tempo possível exposta ao coronavírus. Segundo ela, ainda não existe uma resposta definitiva sobre se as mulheres grávidas estão ou não mais suscetíveis à covid-19.

O que se sabe até agora é que as gestantes que já possuíam algum problema de saúde são consideradas do grupo de risco.

*Com informações da repórter Nicole Fusco