Temer admite que julgamento de Lula pode ofuscar sua participação em Davos

  • Por Jovem Pan
  • 24/01/2018 07h58
EFE/Joédson AlvesCom relação ao julgamento, o presidente ressaltou que não teme qualquer problema no País. “Sabe o que acontece? É natural, isso significa que as instituições brasileiras estão funcionando”, disse

O presidente Michel Temer, admitiu nesta terça-feira em Davos, na Suíça, que o julgamento do ex-presidente Lula nesta quartafeira (24) em Porto Alegre, pode roubar um pouco a atenção da participação dele no Fórum Econômico Mundial.

Nesta quarta, Temer faz palestra e responde a perguntas de investidores. Com relação ao julgamento, o presidente ressaltou que não teme qualquer problema no País. “Sabe o que acontece? É natural, isso significa que as instituições brasileiras estão funcionando”, disse.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles que também está na Suíça, evitou falar sobre o julgamento, mas comentou a possibilidade de uma possível candidatura Lula no final do ano: “temos de separar a decisão política. Outra coisa é a questão judicial. Acho que a candidatura dele é positiva politicamente, porque dá a oportunidade de os eleitores julgarem se querem ele ou outro”.

Meirelles ressaltou que no entendimento dele o ideal seria a eleição de um candidato reformista. Disse que tem sido abordado por vários investidores pedindo que ele se candidate mas reafirmou o discurso de que essa decisão só será tomada em abril.

O ministro acabou irritando os articuladores do Governo, quando afirmou a investidores que existe risco de a reforma da Previdência ficar para o final do ano.

Henrique Meirelles afirmou que os investidores estão vendo o Brasil com bons olhos, estão mais otimistas apesar do recente rebaixamento da nota de crédito do Brasil.

Segundo ele, há uma curiosidade com relação à situação do País, uma busca constante de informações e mesmo uma certa preocupação e precaução por conta do período eleitoral.

*Informações da repórter Luciana Verdolin