Terror em Araçatuba: quadrilha ataca bancos e faz família refém; pelo menos 3 pessoas morreram

Durante o ataque, moradores foram feitos de escudo humano; dois suspeitos de participarem da ação foram detidos e um terceiro foi morto em confronto com a polícia

  • Por Jovem Pan
  • 30/08/2021 07h39 - Atualizado em 30/08/2021 15h04
Reprodução/Rádio Jovem PanAtravés de nota, a Secretaria de Segurança Pública informou que buscas para tentar localizar criminosos estão em andamento

A cidade de Araçatuba, no interior de São Paulo, viveu uma madrugada de terror nesta segunda-feira, 30. Uma quadrilha fortemente armada promoveu tiroteio e fez reféns para assaltar dois bancos na região central da cidade. Pelo menos três pessoas morreram e outras seis ficaram feridas, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública. O mais recente ataque orquestrado à agências bancárias começou pouco depois da meia-noite, quando criminosos invadiram o município localizado a 520 quilômetros da capital paulista. Armados com fuzis e metralhadoras, eles chegaram atirando para o alto e cercaram os acesso à cidade com veículos em chamas para atrapalhar a aproximação de policiais militares. A população, assustada, acompanhava tudo do alto dos edifícios enquanto registrava a ação dos bandidos. Pelo menos dois suspeitos de participarem da ação já foram detidos e um terceiro foi morto em confronto com a polícia. A orientação do governo é para que as pessoas não saiam de casa.

Pedestres foram feitos reféns e levados para pontos estratégicos onde permaneceram como escudos humanos. Bases da Polícia Militar foram atacadas e vários bancos foram assaltados pelos criminosos — que espalharam explosivos pela cidade e chegaram a lançar dinheiro nas ruas. A PM surgiu, mas não há informações se houve troca de tiros. Na hora da fuga, os reféns foram colocados nos capôs e tetos do veículo da quadrilha, que partiram em comboio. Através de nota, a Secretaria de Segurança Pública informou que buscas para tentar localizar criminosos estão em andamento. Unidades da PM de Araçatuba, com o apoio de equipes de Bauru, São José do Rio Preto e Presidente Prudente, além do Águia e da Polícia Civil participam das diligências.

*Com informações do repórter Paulo Édson Fiore