‘Todos terão que pagar por estados que não fizerem reforma da Previdência’, diz governador do RS

Nesta terça-feira (11), governadores se reúnem em Brasília para a 5ª Reunião do Fórum de Governadores, com o objetivo de afinar o discurso a respeito da reforma

  • Por Jovem Pan
  • 10/06/2019 09h10
Estadão ConteúdoO governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB)

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), defendeu nesta segunda-feira (10) que estados e municípios sejam incluídos na reforma da Previdência que tramita na Câmara dos Deputados. Amanhã, governadores se reúnem em Brasília para a 5ª Reunião do Fórum de Governadores, com o objetivo de afinar o discurso a respeito da reforma.

Segundo Leite, a reforma no nível federal mostra que o país não vai quebrar e que terá capacidade fiscal futura e assim, conseguirá recuperar a confiança de investidores. “Mas, se faz meia reforma, aquela que atenda apenas à união e não aos estados e municípios, você vai dizer: ‘a União não vai quebrar, mas os estados poderão quebrar lá na frente, que vão pedir ajuda à União, que por sua vez, terá dificuldade de atender a todos”, explicou ele em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan.

“Uma reforma feita pela metade é quase como nenhuma reforma, porque vai deixar espaço para que continue a doença nos orçamentos, nas finanças de estados e municípios, que depois terão que socorrer aqueles que não terão feito sua própria reforma”.

Para o tucano, se o Congresso deixar de atender estados e municípios nessa reforma, governadores e prefeitos terão que optar onde aplicar capital político. “Tenho que escolher onde vou investi-lo, onde é mais importante, se vou ter que investir capital político em algo que já deveria ter sido investido”, disse Leite.

De acordo com o governador, os deputados “têm a oportunidade de fazer um grande bem para o Brasil”.