Toffoli pede trégua entre os poderes, critica ‘atitudes dúbias’ de Bolsonaro e faz aceno a Aras

  • Por Jovem Pan
  • 09/06/2020 06h01 - Atualizado em 09/06/2020 08h03
Bruno Rocha/Estadão ConteúdoToffoli acrescentou que qualquer profissional da Justiça deve atuar com provas e não por discursos feitos para a mídia

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, afirmou que as atitudes do presidente Jair Bolsonaro têm trazido “dubiedade”. O ministro defendeu que o momento deve ser de união entre Executivo, Legislativo e Judiciário para minimizar os efeitos da covid-19 e pediu “trégua” entre os Poderes.

Toffoli disse que Bolsonaro e Mourão “são democratas” e merecem ser respeitados. A declaração foi dada durante um evento virtual da Associação dos Magistrados Brasileiros nesta segunda-feira (8).

Na ocasião, entidades divulgaram um manifesto em defesa da democracia e do Poder Judiciário e a presidente da Associação Paulista dos Magistrados, Vanessa Ribeiro Mateus, destacou a importância da questão.

Mais cedo, em videoconferência do Conselho Nacional de Justiça, Toffoli saiu em defesa do procurador-geral da República, dizendo que Augusto Aras sofre críticas injustas. Nas últimas semanas, o chefe do Ministério Público vem recebendo ataques, inclusive de integrantes da própria instituição.

A suposta proximidade com Jair Bolsonaro é apontada como um dos motivos da insatisfação interna. O presidente do STF, Dias Toffoli, declarou que o chefe do Ministério Público Federal não está interessado em holofotes.

Toffoli acrescentou que qualquer profissional da Justiça deve atuar com provas e não por discursos feitos para a mídia. O presidente do Supremo também fez um elogio ao Congresso ao destacar que a os parlamentares estão alinhados à democracia.

*Com informações do repórter Afonso Marangoni