Trabalhadores dos Correios ameaçam greve em meio à pandemia

  • Por Jovem Pan
  • 09/04/2020 06h41 - Atualizado em 09/04/2020 08h29
Elza Fiúza/Agência Brasilsindicato da categoria apresentou uma ação contra os Correios, solicitando os materiais de proteção

Trabalhadores dos Correios ameaçam parar em meio à pandemia do coronavírus. A Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios deve, nesta quinta-feira (9), anunciar a decisão.

Eles veem a possível paralisação como forma de proteger os trabalhadores contra riscos de contaminação da covid-19. Neste período de distanciamento social devido à pandemia do coronavírus, as compras pela internet cresceram 30%. A demanda se reflete em mais trabalho para o serviço postal.

A decisão impacta toda a região Metropolitana de São Paulo e cidades do interior. E, se aprovada, a greve também chega ao estado do Rio de Janeiro. A possível paralisação preocupa pois o eixo Rio-São Paulo corresponde a mais da metade do movimento postal do Brasil.

No final de março, os Correios anunciaram uma série de medidas de prevenção nos postos de trabalho, como a intensificação da higienização e limpeza dos equipamentos, e afastamento de funcionários que tiveram contato com pessoas infectadas.

Ainda assim, os trabalhadores promoveram um abaixo-assinado solicitando equipamentos de proteção, como máscaras e luvas adequadas para o trabalho. Segundo um estudo do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos, o coronavírus chega a sobreviver por até 24 horas no papelão e três dias em superfícies plásticas.

O sindicato da categoria apresentou uma ação contra os Correios, solicitando os materiais de proteção. O juiz Sérgio Polastro Ribeiro, da 3ª Vara de Bauru, no interior de São Paulo, concedeu uma liminar que acatou em parte o pedido dos funcionários da região.

Após recorrer, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos conseguiu um mandado de segurança para continuar as atividades sem ter que fornecer os materiais. A gestão distribuiu aos seus funcionários um Termo de Recusa para quem não aceitasse trabalhar sob as condições estabelecidas: sem luvas e sem máscara.

No documento, a empresa afirma que, ao assinar, o trabalhador estará sujeito a punições administrativas.

*Com informações do repórter Vinícius Nunes