Trabalhadores e direção definem na sexta paralisação do Porto de Santos

  • Por Jovem Pan
  • 19/03/2020 09h21 - Atualizado em 19/03/2020 09h26
MARCO SILVA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOPorto de Santos é o maior complexo portuário da América Latina e tem operado normalmente em todas as funções

Por receio de prejuízos na economia, o Sindicato dos Estivadores de Santos, São Vicente, Guarujá e Cubatão decidiram deixar para sexta-feira a decisão de paralisar ou não as atividades no Porto de Santos.

O Sindicato enviou um oficio para a Secretária dos Portos da Presidência da República destacando o alto risco de exposição e contágio do novo coronavírus ao qual os trabalhadores estão submetidos.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, solicitou o adiamento da votação — que acontecerá na sexta-feira com o comitê de crise que foi criado para que a situação seja analisada de forma regular.

Os estivadores são essenciais nas operações de carga e descarga de mercadorias. São os trabalhadores responsáveis pela colocação ou retirada das cargas dentro e fora dos navios.

O Porto de Santos é o maior complexo portuário da América Latina e tem operado normalmente em todas as funções com os acessos marítimos e rodoviários abertos, sem nenhuma restrição.

*Com informações do repórter Pedro Marques