Trecho Norte do Rodoanel será leiloado nesta quarta (10) à iniciativa privada

  • Por Jovem Pan
  • 10/01/2018 06h44
Eduardo Saraiva/A2IMGConstruído pela Dersa, o ramal Norte tem 47 quilômetros na ligação com o Oeste, administrado pela ViaOeste, e o trecho Leste, sob gestão da SPMar

Trecho Norte do Rodoanel será leiloado nesta quarta-feira (10) à iniciativa privada, na conclusão do projeto viário de 176 quilômetros, iniciado em 1998.

Construído pela Dersa, o ramal Norte tem 47 quilômetros na ligação com o Oeste, administrado pela ViaOeste, e o trecho Leste, sob gestão da SPMar.

A disputa na B3 envolve R$ 581 milhões a serem aportados pela futura concessionária, em 30 anos, R$ 153 milhões já no primeiro ano.

O governador Geraldo Alckmin ressaltou que o Rodoanel retira os veículos de passagem de São Paulo e oferece novas possibilidades de acesso ao ABC: “vamos entregar agora neste primeiro semestre o Rodoanel Norte, que vai ligar o ABC com o Aeroporto de Cumbica e o Porto de Santos”.

Atualmente o trecho Oeste, inaugurado em outubro de 2002, interliga Regis Bittencourt, Raposo Tavares, Castelo Branco, Anhanguera e Bandeirantes.

O Trecho Sul, liberado em abril de 2010, permite o acesso das rodovias do Oeste com o sistema Anchieta-Imigrantes.

Já o Trecho Leste, que entrou em operação em junho de 2015, interliga o Trecho Sul às Rodovias Presidente Dutra e Ayrton Senna.

O vice-presidente do SETCESP, Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região, Adriano Depêntor, avaliou a conclusão da obra: “não só trará maior fluidez ao trânsito de passagem como também interligará todos os municípios de SP trazendo maior agilidade, segurança, com maior conforto e grande velocidade na distribuição de carga”.

O Rodoanel começou a ser discutido na década de 50 como uma alternativa para não carregar a capital, com o transporte de carga de passagem.

Um dos incentivadores do projeto no final dos anos 80, o engenheiro Luiz Célio Botura, ressaltou sua abrangência viária: “haverá melhora sensível, não haverá solução, mas é boa opção de tráfego, mais rápido, mais seguro. Volume de tráfego deverá surpreender as previsões iniciais”.

A expectativa em relação aos principais interessados no leilão do Trecho Norte do Rodoanel passa pelas concessionárias que já atuam em São Paulo.

As brasileiras CCR e EcoRodovias e a italiana Atlantia, controladora da AB Concessões, são esperadas para comandar a disputa pela estrada.

*Informações do repórter Marcelo Mattos