Trio é preso suspeito de enviar migrantes ilegalmente aos EUA

  • Por Jovem Pan
  • 21/08/2019 08h51
Rovena Rosa/Agência BrasilOs interessados chegavam em SP de avião, por via terrestre seguiam até o Acre, entravam no Peru e atravessavam o continente até os EUA

A Polícia Federal prendeu um argelino, um sul-africano e um iraniano suspeitos de coordenar uma rede de contrabando de pessoas do Brasil para os Estados Unidos. A Operação Big Five foi deflagrada na manhã desta terça-feira (20), cumprindo os três mandados de prisão e outros seis de busca e apreensão – todos em São Paulo.

Nos locais averiguados, os investigadores encontraram documentos falsos, providenciados pelos detidos para a realização da travessia. Segundo a PF, o trio colaborou para o envio de pelos menos 72 migrantes oriundos de países do Oriente Médio, como o Iêmen, e de nações do leste da África.

Além disso, eles teriam encaminhado pelo menos dois cidadãos da Somália que são investigados nos Estados Unidos por ligações com terrorismo.

O delegado Milton Fornazari Júnior explica que os presos vão responder por um tipo penal relativamente novo, do contrabando de pessoas, válido há menos de dois anos.

A rota de migração a partir de São Paulo é muito longa e cara. Os interessados chegavam na capital paulista de avião, por via terrestre seguiam até o Acre, entravam no Peru e atravessavam o continente até os Estados Unidos. De acordo com a PF, o custo de todo esse processo ultrapassava US$ 15 mil.

A quadrilha assediava migrantes em uma mesquita de São Paulo e mantinha quartos em um hotel na região central para hospedar as vítimas. O inquérito começou em julho de 2018 após cooperação internacional entre autoridades brasileiras e o serviço de imigração dos EUA. As apurações continuam e os presos podem responder pelo crime com penas de 3 a 8 anos de prisão.

*Com informações do repórter Tiago Muniz