Troyjo elogia ‘parceria estratégica’ com EUA: ‘Nos coloca em outro patamar’

  • Por Jovem Pan
  • 07/02/2020 09h40
World Economic Forum / Benedikt von Loebell"Estamos correndo atrás do tempo perdido e frutos concretos já estão acontecendo", afirmou Troyjo sobre relação com os EUA

Marcos Troyjo, o secretário Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia, traçou um panorama da atual da economia externa brasileira, em entrevista ao Jornal da Manhã, nesta sexta-feira (7).

Segundo ele, a ideia de anti-americanismo é “uma caraterística de países atrasados e que colocam nos outros a culpa pelos seus próprios problemas”. Troyjo destacou que, sob o governo Bolsonaro, “estamos correndo atrás do tempo perdido e frutos concretos já estão acontecendo, como o apoio à integração à OCDE.”

“A nossa parceria estratégica reforça a presença do Brasil no mundo e nos coloca em outro patamar com outros países da Europa e Ásia”, completou.

O secretário destacou que “os níveis do comércio internacional encontram-se em patamar baixo”. “Em 2019, a corrente de comércio do país – soma de importações e exportações – teve retração. Se pegar as economias do G20, 10 tiveram retração maior. Estamos na média. Por outro lado, a balança comercial continua superavitária. O Brasil fechou janeiro com o 10º maior superávit do mundo. O 7º entre o G20.”

Troyjo ainda fez sua análise do trabalho até aqui: “Os países que apostaram no comércio internacional se dão melhor do que os que ficam fechados. Houve momentos de dificuldade e ainda assim aqueles que perseveraram foram aqueles que tiveram multiplicação muito pronunciada do seu PIB. É isto que estamos fazendo.”