Trump nega suposto complô para invasão à Venezuela

  • Por Jovem Pan
  • 09/05/2020 07h29
Yuri Gripas/EFEO republicado destacou que se ordenasse uma operação no território venezuelano seria com uma invasão

O presidente norte-americano, Donald Trump, voltou a dizer que a Casa Branca não participou de uma suposta tentativa de tirar o ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, do poder.

Em entrevista à Fox News nesta sexta-feira (8), ele afirmou que se quisesse fazer uma ação contra Maduro não a faria em segredo. O republicado destacou que se ordenasse uma operação no território venezuelano seria com uma invasão com uso de um exército e não um pequeno grupo.

Na terça-feira, Donald Trump já havia dito que Washington não tem nada ver com o caso. O ditador Nicolás Maduro afirmou que deteve uma incursão marítima no domingo (3) que tinha o objetivo de derrubá-lo do poder, cerca de 20 pessoas foram presas pelas forças de segurança da Venezuela, duas delas ex-militares dos Estados Unidos.

O regime de Maduro garantiu que a suposta conspiração foi financiada pelo autoproclamado presidente da Venezuela, Juan Guaidó. Trump disse que a ação não foi um bom ataque e que foi realizada com a participação de venezuelanos e pessoas de outros países.

Nesta sexta-feira, o procurador-geral venezuelano,Tarek Saab, ligado ao regime chavista, afirmou que os dois norte-americanos envolvidos foram formalmente denunciados por terrorismo e invasão. Entrevistas em vídeo na dupla foram exibidas na TV estatal. Eles afirmaram ter sido contratados por uma empresa de segurança privada de Miami para treinar 50 venezuelanos na Colômbia para a operação.

Desde o final de maio, o Departamento de Estado norte-americano oferece uma recompensa de até U$15 milhões de dólares por informações que permitam deter Maduro.

*Com informações do repórter Afonso Marangoni