Após polêmica, Trump pede apoio à comunidade negra e é alvo de protesto

  • Por Jovem Pan
  • 31/07/2019 08h22 - Atualizado em 31/07/2019 10h27
EFEIbraim Samirah, que tem origem palestina, gritou ao presidente: “Você não pode nos mandar embora, a Virgínia é a nossa casa”

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi interrompido por um deputado estadual democrata durante um discurso no estado da Virgínia nesta terça-feira (30).

Ibraim Samirah, que tem origem palestina, erguia cartazes que diziam “Volte para o seu lugar corrompido” e “Deporte o ódio.” Ele ainda gritou para o presidente. “Você não pode nos mandar embora, a Virgínia é a nossa casa.”

O evento celebrava a democracia e os 400 anos do primeiro encontro de legisladores no continente americano. O presidente falava sobre a importância da população afro-americana na construção do país quando o deputado interveio.

Polêmica

Neste sábado (27), o presidente se envolveu em uma polêmica no Twitter, quando chamou de tirano Elijah Cummings, representante de Maryland no Congresso, e que costuma fazer críticas a Trump. O presidente afirmou que o distrito de Cummings é nojento e está infestado de ratos.

Nesta segunda-feira (29), o reverendo e ativista negro Al Sharpton chamou Trump de imaturo e racista, dizendo que o presidente norte-americano prefere dirigir suas críticas a adversários negros.

Respondendo a perguntas de jornalistas na Casa Branca, nesta terça-feira (30), o presidente afirmou que as pessoas de Baltimore, a capital do estado de Maryland, estão muito felizes por ele trazer à tona que a região se tornou um inferno.

Trump ainda minimizou o protesto do deputado democrata que o interrompeu.

*Com informações do repórter Renan Porto