TSE nega pedido do PT para que emissoras deem espaço a Haddad; especialista defende decisão

  • Por Jovem Pan
  • 01/10/2018 08h26 - Atualizado em 01/10/2018 08h36
Edu Moraes/Record TVA Jovem Pan insiste que tem dado o mesmo espaço a todos os presidenciáveis

O ministro Sérgio Banhos, do Tribunal Superior Eleitoral, negou pedido do PT para que emissoras de rádio e TV deem espaço a Fernando Haddad. A coligação “O Povo Feliz de Novo” pediu igualdade de oportunidade após a rádio Jovem Pan e a TV Bandeirantes transmitirem entrevistas com Jair Bolsonaro, do PSL.

Banhos decidiu aguardar a manifestação das emissoras e do Ministério Público Eleitoral sobre o caso. No despacho, o magistrado avaliou que a matéria apresenta complexidade e exige análise verticalizada.

Em prol da liberdade de expressão e do princípio do contraditório, Branhos entende ser mais prudente indeferir a liminar. O ministro do TSE acredita que a decisão não trará prejuízo para que uma reflexão aprofundada seja realizada no momento oportuno.

A Jovem Pan defendeu que a entrevista concedida a Augusto Nunes atendia exclusivamente ao interesse público. Sem qualquer conotação política, Bolsonaro relatou o ataque sofrido em Juiz de Fora e o andamento de sua recuperação.

A Jovem Pan insiste que tem dado o mesmo espaço a todos os presidenciáveis. A emissora defende a liberdade jornalística para informar com a maior imparcialidade possível.

O mesmo foi lembrado pelo especialista em Direito Eleitoral, Arthur Rollo.

Foi decisão correta do ministro, que ao nosso entender vai ser mantida pelo julgamento do mérito, mas deve haver recurso. A tendência é manter também no plenário do TSE, até porque Haddad estava convidado para estar no Pânico e abriu mão de 1h30 de espaço na Jovem Pan. Isso está documentado em ata, prints de conversas por telefone. Ele está pedindo entrevista, mas deixou de comparecer aos estúdios da Jovem Pan. O pedido de ter entrevista é contraditório, porque o espaço foi dado”, disse Rollo.