TSE publica cassação de governador e vice no TO e determina eleições diretas

  • Por Jovem Pan
  • 28/03/2018 07h34
DivulgaçãoO pleito para escolher o novo governador que ficará até o dia 31 de dezembro deve ser realizado em um prazo de 20 a 40 dias

O governador cassado do Tocantins, Marcelo Miranda disse deixar o cargo de cabeça erguida. O pronunciamento foi um dia depois de o Tribunal Superior Eleitoral publicar o acórdão com a cassação do emedebista e da vice-governadora, Cláudia Lelis.

Os dois foram acusados de receber caixa dois durante a campanha eleitoral de 2014. Marcelo Miranda ressaltou obras e investimentos durante os três anos de mandato.

Com a saída da chapa, o presidente da Assembleia Legislativa, Mauro Carlesse assume o cargo até a eleição direta.

O político disse que quer resolver os problemas do Estado e que a equipe dele está preparada para assumir o Poder Executivo.

O pedido de cassação teve origem em 2015, depois de uma aeronave, ligada a Marcelo Miranda, ser apreendida com R$ 500 mil. Não é a primeira vez que ele perde o mandato de governador, em 2009 o emedebista foi cassado por irregularidades na campanha.

Apesar de ter ficado inelegível durante oito anos, nas eleições de 2014 ele entrou na justiça e conseguiu o direito de se candidatar.

O pleito para escolher o novo governador que ficará até o dia 31 de dezembro deve ser realizado em um prazo de 20 a 40 dias.

*Informações da repórter Natacha Mazzaro