TSE reabre coleta de provas em investigação da chapa Bolsonaro-Mourão

As ações tratam da invasão, em 2018, do grupo do Facebook “Mulheres unidas contra Bolsonaro”

  • Por Jovem Pan
  • 01/07/2020 06h16
Com a decisão, o TSE volta a apurar o caso e somente numa etapa posterior vai julgar se existem elementos contra a chapa eleita

Por quatro votos a três, o Tribunal Superior Eleitoral decidiu nesta terça-feira (30) reabrir a fase de investigação de dois processos que pedem a cassação da chapa Bolsonaro-Mourão. As ações tratam da invasão, em 2018, do grupo do Facebook “Mulheres unidas contra Bolsonaro”, que foi alterado para parecer que os usuários apoiavam o então candidato.

Com a decisão, o TSE volta a apurar o caso e somente numa etapa posterior vai julgar se existem elementos contra a chapa eleita. A maioria dos ministros seguiu o voto de Edson Fachin, que defendeu a necessidade de buscar novas evidências no caso.

Já os ministros Alexandre de Moraes, Og Fernandes e Luiz Felipe Salomão votaram pelo arquivamento do caso. Segundo Moraes, a invasão à página não comprometeu a igualdade da disputa eleitoral de 2018.

Último a votar, o presidente do TSE desempatou o julgamento a favor da reabertura das investigações. Luís Roberto Barroso ressaltou que é “gravíssimo invadir uma página para desvirtuar as mensagens”.

Jair Bolsonaro também é alvo de outras ações no TSE que pedem a cassação da chapa pela qual ele disputou a eleição presidencial de 2018. Os principais processos em andamento envolvem a acusação do financiamento por caixa dois para o disparo em massa de mensagens pelo Whatsapp.

Na semana passada, a corte arquivou por unanimidade uma ação que pedia a cassação da chapa pelo uso irregular de outdoors na campanha por apoiadores.

*Com informações da repórter Letícia Santini