Turco vence batalha no STF e não será extraditado após 12 anos no Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 08/08/2019 09h27
EFE/EPA/OLIVER BERGO comerciante comemorou a decisão com seu filho e esposa

O sorriso estampado no rosto de Ali Sipahi diz tudo. Aos 19 anos, ele veio pra São Paulo com uma mão na frente e outra atrás. A cidade o acolheu, ele amou sua nova terra e não saiu mais.

Atualmente, aos 31 anos, o comerciante, que já trabalhou na Câmara de Comércio Turco-Brasileira, comemora junto com sua mulher e seu filho a decisão da 2ª Turma do STF em não aprovar a sua extradição para a Turquia.

Sem nunca ter tido nenhum envolvimento com qualquer grupo terrorista, Ali Sipahi vive uma realidade dos refugiados turcos não só no Brasil, mas em todo o mundo. Por não concordarem com o regime autoritário de Recep Tayyip Erdoğan, são considerados terroristas e perseguidos politicamente.

Emocionado, ele diz que só quer continuar trabalhando no Brasil e gerando emprego em seus restaurantes. “Mais de metade da minha vida passei aqui no Brasil. Fiz universidade aqui, trabalhei, casei aqui, meu filho nasceu aqui. Esse país tem uma enorme importância na minha vida.”

Vale lembrar que a decisão do STF vai ajudar, e muito, outros refugiados que também sofrem perseguições de governos autoritários e estão no Brasil por uma vida melhor.

*Com informações do repórter Victor Moraes