Um criminoso é morto e outro é preso após perseguição policial na zona leste de SP

  • Por Jovem Pan
  • 21/11/2017 06h06 - Atualizado em 21/11/2017 11h25
Reprodução/FacebookO desconhecido acabou baleado duas vezes no tórax e morreu quando era levado pelos bombeiros para o Hospital Municipal de Cidade Tiradentes

Perseguição policial a quadrilha em veículo roubado termina em confronto, com um bandido morto e um preso, na Zona Leste de São Paulo.

Em patrulhamento, no início da noite desta segunda-feira (20), na região de Cidade Tiradentes, PMs do 28º Batalhão avistaram um Chevrolet Cruze, preto, e suspeitaram dos ocupantes. Com a aproximação da viatura, o motorista acelerou, dando início a uma perseguição que durou poucos minutos e terminou na altura do número 100 da Rua Coração Sertanejo, próximo à Estrada do Iguatemi.

No trajeto, os pneus do Cruze acabaram furando, e os cinco bandidos resolveram descer e prosseguir a fuga a pé. Enquanto corriam em direção a uma favela, um deles teria efetuado disparos em direção aos policiais, que revidaram.

O desconhecido acabou baleado duas vezes no tórax e morreu quando era levado pelos bombeiros para o Hospital Municipal de Cidade Tiradentes. Um comparsa dele foi preso ileso, mas os outros três conseguiram fugir.

Os militares descobriram que o Cruze havia sido roubado horas antes. O caso foi comunicado ao delegado plantonista do 53º Distrito Policial, do Parque do Carmo, e registrado no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa, que assumiu as investigações.

Ainda na Zona Leste, no início da madrugada desta terça (21), PMs foram acionados por moradores da Rua Paulo Tapajós, no bairro Cidade Kemel, região do Itaim Paulista, após terem ouvido vários disparos de arma de fogo.

No local, os policiais encontraram dois jovens baleados, caídos em um terreno baldio, ambos já sem vida e ao lado de duas motos com queixa de roubo.

A principal suspeita, segundo a PM, é de acerto de contas entre criminosos.

O caso foi registrado no 50º Distrito Policial, do Itaim Paulista, e também será investigado pelo DHPP.

*Informações do repórter Paulo Édson Fiore