Uso de máscara se mostra mais seguro para reduzir distanciamento social, diz médico

  • Por Jovem Pan
  • 22/04/2020 06h39 - Atualizado em 22/04/2020 07h51
EFE/Sebastião MoreiraJosé Medina Pestana avalia que a utilização das máscaras vai se tornar um hábito para o brasileiro

Saudades de um abraço apertado, de um beijo, de conversar pessoalmente com as pessoas queridas. Essas têm sido reclamações frequentes durante este período de quarentena.

Para o médico José Medina Pestana, diretor do Hospital do Rim, o isolamento total da população foi importante para mostrar os perigos da covid-19.

Mas, segundo ele, usar a máscara de proteção pode ser uma alternativa para aliviar essa saudade, principalmente das pessoas idosas — que estão sofrendo mais com o distanciamento.

“Se você não estiver sintomas e tiver usando máscara, respeitando o distanciamento, você pode almoçar com seus pais em um grupo pequeno de quatro ou cinco pessoas. O risco de transmissão seria minúsculo.”

O médico também falou sobre o isolamento vertical, ou seja, das pessoas que compõem os grupos de risco. Segundo José Medina Pestana, essa seria uma situação ainda mais dramática, não só do ponto de vista social, como também da saúde.

“As pessoas idosas que ficam dentro de casa vão atrofiando, perdendo músculo, a capacidade intelectual. Reduz a disposição de vida, podendo causar até alguma depressão.”

José Medina Pestana avalia que a utilização das máscaras vai se tornar um hábito para o brasileiro. Porém, na opinião do médico, o uso desta proteção teria que ser obrigatório — mas sem a cobrança de multas.

*Com informações da repórter Nicole Fusco