Vendas de materiais escolares devem crescer 4% neste ano

  • Por Jovem Pan
  • 29/01/2018 06h55
Ascom Prefeitura de VotuporangaA previsão é da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo. De acordo com a pesquisa, o gasto médio dos pais deve oscilar entre R$ 60 e R$ 80

Vendas de materiais escolares para a volta às aulas de 2018 devem crescer 4%, na comparação com o início do último ano letivo.

A previsão é da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo. De acordo com a pesquisa, o gasto médio dos pais deve oscilar entre R$ 60 e R$ 80.

O presidente da entidade, Maurício Stainoff, afirmou que a melhor forma de economia é com uma boa pesquisa de preços: “esse levantamento vai fazer com que eles economizem bastante. Temos muito material importado, material do Brasil. Se o consumidor pesquisar, vai economizar bastante”.

Segundo Maurício Stainoff, presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de São Paulo, a economia pode chegar a até 40%.

A advogada Lívia Coelho, da associação de consumidores Proteste, explicou quais itens não podem aparecer na lista do material escolar: “itens de uso coletivo como álcool, glitter, caneta para lousa, lenços descartáveis. Materiais de escritório podem ser cobrados, mas apenas em quantidade para uso pessoal”.

Lívia Coelho ressaltou ainda que a escola não pode exigir que a compra seja feita em uma determinada loja. Os colégios também são impedidos de excluir das atividades os alunos que não se apresentarem com todos os materiais.

*Informações do repórter Vitor Brown