Venezuela vai julgar norte-americanos presos em tentativa frustrada de invasão

  • Por Jovem Pan
  • 07/05/2020 06h16 - Atualizado em 07/05/2020 07h30
EFE/ Prensa Miraflores De acordo com Maduro, a tentativa de tirá-lo do poder foi orquestrada pelos governos dos Estados Unidos e Colômbia

Uma incursão marítima frustrada pelo governo da Venezuela no início desta semana tinha como objetivo capturar o presidente Nicolás Maduro e levá-lo para os Estados Unidos. A afirmação é do americano Luke Denman, detido em Caracas junto com outro americano Airan Berry pelas forças venezuelanas, em um depoimento exibido na televisão estatal.

De acordo com Maduro, a tentativa de tirá-lo do poder foi orquestrada pelos governos dos Estados Unidos e Colômbia com ajuda do opositor, o presidente autoproclamado, Juan Guaidó.

O procurador-geral venezuelano, Tarek William Saab, afirmou que Denman e Berry trabalham para uma empresa de segurança chamada Silvercop USA, fundada pelo ex-militar Jordan Goudreau. Saab afirmou que o detido disse que a companhia recebe ordens do presidente Donald Trump.

Maduro pediu a extradição de Goudreau e disse que Denman e Berry serão julgados pela justiça venezuelana.

A Venezuela acusa Guaidó de repassar US$ 212 milhões para a Silvercop para contratar mercenários norte-americanos usando fundos da estatal de petróleo PDVSA.

Nesta quarta-feira, o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, afirmou que usará todos os mecanismos disponíveis para repatriar os detidos. Ele negou envolvimento do país no caso e disse que, se tivessem atuado, “teria sido diferente”.

*Com informações da repórter Nanny Cox