Vereadores de São Paulo aprovam reforma administrativa

  • Por Jovem Pan
  • 25/06/2020 07h03 - Atualizado em 25/06/2020 07h58
André Bueno / CMSPO vereador Fernando Holiday lembrou que o projeto do executivo extingue 3 mil e 587 cargos e resultará numa economia anual de R$125 milhões

A Câmara de São Paulo aprova reforma administrativa que extingue o Serviço Funerário, (Amlurb), Autoridade de Limpeza Urbana, (Ilume), Departamento de Iluminação Pública e a SPTuris.

O vereador Fernando Holiday fez ressalvas, como a não inclusão da Prodam, a Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Município de São Paulo, mas lembrou que o projeto do executivo extingue 3 mil e 587 cargos, cria outros 627, e resultará numa economia anual de R$125 milhões. “Eu sou obrigado a reconhecer que a proposta de reforma administrativa enviada pela gestão Bruno Covas é uma reforma que segue no caminho adequado.”

Já a vereadora Juliana Cardoso condenou a votação durante a pandemia do coronavírus. “Falar da vida desse servidor público sem que ele possar estar aqui presente também para dialogar e dizer para os vereadores que são contrários a venda da autarquia. Porque o que vocês estão fazendo, vereadores, é a venda da autarquia para as organizações sociais.”

O projeto foi aprovado com 31 votos favoráveis e 12 contrários e segue para sanção do prefeito Bruno Covas. Ele cria uma agência reguladora, a SP Regula, para fiscalização de serviços públicos concedidos para a iniciativa privada.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos