Vice de Ciro, Kátia Abreu admite que só restou ‘solução caseira’

  • Por Jovem Pan
  • 06/08/2018 09h01
Marcelo Camargo/Agência Brasil"Vamos continuar perdendo pro dinheiro enquanto não houver financiamento privado de campanha", disse

Depois das sucessivas derrotas políticas de Ciro Gomes para fechar sua chapa na disputa pela Presidência da República, Kátia Abreu foi a escolhida para ser sua vice. Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, ela admitiu que a “solução caseira” foi o que restou ao PDT, após as tentativas frustradas de coligações e alianças.  Ela afirmou, também, que seus planos “eram outros”.

Quando questionada a respeito de sua posição contrária ao impeachment de Dilma Rousseff, a pedetista reforçou que seu apoio era direcionado à Dilma e não ao PT: “tinha a convicção de que ela era uma pessoa correta”. “Foi uma questão de lealdade”, concluiu.

Tocantins

Com críticas implícitas ao que ocorreu nas eleições suplementares em seu Estado, Tocantins,  Kátia Abreu disse que “em menos de 30 dias, o dinheiro ganhou a eleição”.

“Com relação ao Tocantins, falo com tranquilidade, porque estava vendo os papéis e até 23 de maio eu estava na frente, com folga de sete pontos. Eu estava com mais de 20% e o segundo com 15%. Eu estava com mais de 20% e segundo com 15. No Tocantins, a análise é tranquila e transparente. De janeiro a maio eu era preferida e, em menos de 30 dias, o dinheiro, a máquina ganhou a eleição. E isso não acontece só no Tocantins”, denunciou.

Autodenominada “observadora de orçamentos”, Kátia Abreu ressaltou que o Estado comprometeu a receita líquida corrente em 110% entre abril e maio com despesas na folha de pagamento.

“Por outro lado, o senador Vicentinho Alves, que ficou em segundo lugar, que também estava em penúltimo nas pesquisas, no mês de maio, entre abril e maio, Michel Temer deu a ele R$ 63 milhões de emendas extras orçamentárias. Eu tinha 56 prefeitos na minha base de apoio, o senador com essas emendas reduziu para 21. Vamos continuar perdendo pro dinheiro enquanto não houver financiamento privado de campanha. Porque hoje, sem financiamento privado, a tendência de quem está sentado na máquina é vencer”, disse.

Confira a entrevista exclusiva com a senadora Kátia Abreu e vice-candidata à Presidência na chapa de Ciro Gomes: