Vice-líder do Governo acredita que ainda há tempo para conseguir votos para reforma da Previdência

  • Por Jovem Pan
  • 08/12/2017 06h32
José Cruz/Agência BrasilMuita saliva tem sido gasta para convencer os deputados de que as mudanças na Previdência são necessárias

O Governo deve adiar mais uma vez a votação da Reforma da Previdência na Câmara. O presidente da Casa, Rodrigo Maia, queria votar na semana que vem, mas como não tem votos para aprovar, a matéria pode ser pautada só na semana do dia 19. O Congresso entra em recesso no dia 22.

Apesar do discurso mais otimista dos últimos dias, o Planalto ainda conta com pouco mais de 260 votos pela reforma. São necessários 308 para aprovar, em duas votações.

Muita saliva tem sido gasta para convencer os deputados de que as mudanças na Previdência são necessárias.

Mesmo com todas as dificuldades, o vice-líder do Governo, deputado Beto Mansur (PRB), acredita que ainda há tempo para conseguir apoio: “entre dia 07 até dia 22 são 16 dias corridos, tempo suficiente para que possamos articular com parlamentares que ainda estão em dúvida, para que possamos ter número entre 315 e 320 e colocarmos a proposta em votação”.

O Governo vê na Reforma da Previdência o principal ponto da retomada do crescimento econômico. O mercado espera pelas mudanças no regime das aposentadorias.

Para o deputado Alessandro Molon (Rede), o Governo tenta passar uma falsa impressão para o mercado: “o Governo não tem votos para colocar a proposta na semana que vem e nem na última semana do ano. É uma mera tentativa de dizer para o mercado que o esforço para enterrar a denúncia contra Temer valeu”.

As próximas duas semanas vão ser decisivas. O próprio presidente Michel Temer já admitiu a líderes da base que a reforma tem que ser votada ainda neste ano.

*Informações do repórter Levy Guimarães