Vice-presidente da Câmara defende reajuste salarial de deputados; Maia fala em analisar questão

  • Por Jovem Pan
  • 13/12/2018 06h02
Gustavo Lima/Câmara dos DeputadosO vice-presidente da Câmara dos Deputados, Fábio Ramalho (MDB), defendeu em discurso no plenário, o reajuste do contracheque dos 594 congressistas

Mesmo com o país saindo de uma grave crise e com a premência de corte de gastos, surge no parlamento brasileiro a ideia do próprio aumento salarial.

O vice-presidente da Câmara dos Deputados, Fábio Ramalho (MDB), defendeu em discurso no plenário, o reajuste do contracheque dos 594 congressistas dos atuais R$ 33,7 mil para R$ 39,3 mil, mesmo valor aprovado recentemente para os ministros do Supremo Tribunal Federal.

Ramalho disse que como tem lei para todo mundo tem que se fazer também para os deputados. Ele reclamou ainda da falta de previsão orçamentária para pagamento da última parcela de um antigo reajuste concedido a parte do funcionalismo da Casa, que passará a ganhar cerca de 4% a mais a partir de janeiro.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), prometeu analisar a questão.

Na semana passada, o primeiro-secretário, Fernando Giacobo (PR), destacou que a Casa estudaria a viabilidade jurídica.

Para que os salários dos congressistas sejam reajustados, basta a aprovação de um decreto legislativo pela Câmara e Senado, por maioria simples, sem necessidade de sanção do presidente da República.

O certo mesmo, é que o momento é de urgência no corte de gastos, mas eles continuam, descaradamente, apenas pensando em elevar seus proventos.

*Informações do repórter Daniel Lian