Vigilantes são baleados depois de assalto em Guarulhos

Os seguranças chegaram a ser levados ao hospital municipal, mas não resistiram aos ferimentos.

  • Por Jovem Pan
  • 01/09/2020 06h53 - Atualizado em 01/09/2020 08h47
MARCO AMBROSIO/ESTADÃO CONTEÚDOO crime aconteceu no bairro Jardim Guilhermo, em Guarulhos, região metropolitana de São Paulo

Dois seguranças que faziam a escolta de uma carga de cigarros foram mortos em uma tentativa de assalto. As marcas dos tiros ficaram espalhadas pelo veículo da empresa de segurança. Era por volta das 9h30 da manhã desta segunda-feira, 31, quando vizinhos do local acionaram a Polícia Militar. O crime aconteceu no bairro Jardim Guilhermo, em Guarulhos, região metropolitana de São Paulo e tudo foi registrado por diversas câmeras de segurança. A frieza do criminosos impressiona. Nas imagens é possível ver um dos dois seguranças que faziam a escolta de uma carga de cigarros no canto direito da tela, quando um dos suspeitos de camisa azul, se aproxima caminhando lentamente. Os agente não percebem a movimentação, e é nesse momento que o bandido saca a arma e efetua diversos disparos a queima-roupa. Mesmo feridos os seguranças conseguem levantar e disparar contra o assaltante, mas sem sucesso. Os três continuam a troca de tiros e os dois vigilantes acabam caindo no chão. O autor que também foi baleado conseguiu fugir com o comparsa levando a arma de um dos seguranças. Os seguranças chegaram a ser socorridos e levados para o hospital municipal Pimentas Bonsucesso, mas não resistiram aos ferimentos.

Em outro vídeo o segundo suspeito aparece estacionando o carro em uma rua sem saída, próxima ao local do crime. Ele arrasta para fora do carro o criminoso ferido e foge do local. Diogo Alves, de 18 anos, foi socorrido e levado para o mesmo hospital onde está internado em estado grave. Há poucos metros dali, Alex Junior, de 25 anos, foi preso e encaminhado para o quarto distrito policial de Guarulhos.  Policiais apreenderam dentro do carro uma arma de calibre 38 com a numeração raspada e a arma que tinha sido roubada do segurança. Segundo João Batista Blasi, delegado do responsável pelo caso, Alex Junior já tinha passagens e estava sendo procurado pela polícia. Em depoimento, ele disse que o alvo da dupla na verdade não era a carga e sim as armas dos seguranças.  O acusado que vai passar por uma audiência de custódia, e vai responder pelo crime de latrocínio, roubo seguido de morte, com penas que vão de 20 há 30 anos de prisão.

*Com informações da repórter Hanna Beltrão