Vinte distritos da capital e 53 cidades de SP realizam “Dia D” da vacinação contra a febre amarela

  • Por Jovem Pan
  • 03/02/2018 08h57
EFEDose de 1 mL tem validade para ao mínimo 8 anos, garante o governo

Vinte distritos da capital e outras 53 cidades do estado de São Paulo realizam neste sábado o primeiro “dia D” da vacinação contra a febre amarela (veja os locais mais abaixo). A campanha é realizada com a aplicação da dose fracionada da vacina, conforme diretriz do Ministério da Saúde. Para se vacinar a pessoa precisa levar documento de identidade com foto, carteira do SUS e carteira de vacinação.

O frasco geralmente usado na rede pública, de 5 mL, poderá ser dividido em até cinco partes. De acordo com o Estado, estudos apontam que a vacina fracionada tem eficácia comprovada de pelo menos oito anos.

As carteiras de vacinação terão um selo especial para informar que a dose aplicada foi a fracionada.

A campanha também prevê a vacinação com doses completas para alguns casos específicos: crianças com idade de nove meses a dois anos, pessoas que viajarão para países com exigência de vacina, grávidas residentes em áreas de risco, transplantados e portadores de doenças crônicas.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, diz que oito milhões de pessoas deverão ser imunizadas até o fim de fevereiro. “Vacinamos no último ano mais de 7 milhões de pessoas e vamos vacinar até o fim de fevereiro perto de 8 milhões de pessoas”, disse o governador.

Guarulhos

Segunda cidade mais populosa do estado, Guarulhos espera imunizar toda a população com a campanha deste sábado (3).

Durante a semana, as 69 unidades continuarão vacinando mediante agendamento em Guarulhos.

Desde o início de surto de febre amarela, o município registrou 12 casos confirmados; todos contraíram o vírus em outras cidades da região.

Guarulhos registrou a quinta morte em decorrência da doença e sete pessoas sobreviveram. Em entrevista ao repórter Thiago Muniz, o prefeito Guti afirma que, no caso do município, serão fornecidas apenas doses para os moradores.

“É importante que elas levem a sua carteira de vacinação e um comprovante de residência porque, se as cidades do entorno vierem se vacinar aqui, acabam as vacinas para o guarulhense”, afirmou o prefeito.

O comprovante de residência ou de que trabalha na cidade continua sendo exigido, assim como a avaliação médica às pessoas com 60 anos ou mais.

Veja as cidades paulistas que participam do “Dia D”:

Aparecida
Arapeí
Areias
Bananal
Bertioga
Caçapava
Cachoeira Paulista
Canas
Capital
Caraguatatuba
Cruzeiro
Cubatão
Cunha
Diadema
Guaratinguetá
Guarujá
Igaratá
Ilhabela
Itanhaém
Jacareí
Jambeiro
Lagoinha
Lavrinhas
Lorena
Mauá
Mongaguá
Monteiro Lobato
Natividade da Serra
Paraibuna
Peruíbe
Pindamonhangaba
Piquete
Potim
Praia Grande
Queluz
Redenção da Serra
Ribeirão Pires
Rio Grande da Serra
Roseira
Santa Branca
Santo André
Santos
São Bento do Sapucaí
São Bernardo do Campo
São José do Barreiro
São Caetano do Sul
São José dos Campos
São Luiz do Paraitinga
São Sebastião
São Vicente
Silveiras
Taubaté
Tremembé
Ubatuba

Em São Paulo, capital paulista, as ações abrangem 20 distritos definidos das zonas leste e sul: Jabaquara, Cursino, Sacomã, Campo Limpo, Capão Redondo, Cidade Ademar, Cidade Dutra, Grajaú, Jardim São Luís, Pedreira, Socorro e Vila Andrade (sul); e Cidade Líder, Cidade Tiradentes, Guaianazes, Iguatemi, José Bonifácio, Parque do Carmo, São Mateus e São Rafael (leste).

Crescem mortes no Rio

Cresceu o número de mortes por febre amarela no estado do Rio de Janeiro.

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado nesta sexta-feira (2), são 17 vítimas em todo o estado, contra 13 registradas anteriormente.

A quantidade de casos contabilizados também subiu e passou de 33 para 41. A cidade com o maior número de registros da febre amarela é Valença, com 14 ocorrências e cinco mortes.