Violência contra idosos cresce na pandemia da Covid-19, diz CNJ

O trabalho faz parte da campanha nacional Cartório Protege Idosos e busca reduzir os índices de violência

  • Por Jovem Pan
  • 17/07/2020 07h43 - Atualizado em 17/07/2020 08h38
EFE/EPA/ROBERT GHEMENTAo notar algum indício de coação do idoso durante procedimento no cartório, os funcionários deverão comunicar a situação à polícia, à Defensoria Pública ou ao Ministério Público

A violência contra os idosos também aumentou na pandemia do coronavírus. O Conselho Nacional de Justiça em conjunto com Associação dos Notários e Registradores do Brasil e o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos definiram uma forma de coibir os casos, com a apoio dos cartórios em todo o país, explica o diretor da Anoreg/Brasil, Ubiratan Guimarães. “Para prevenir e evita a violência contra idosos, seja patrimonial, financeira, moral, psicológica e até mesmo física, especialmente nesse período de pandemia que os idosos estão mais vulneráveis.”

O trabalho faz parte da campanha nacional Cartório Protege Idosos. Ao notar algum indício de coação do idoso durante procedimento no cartório, os funcionários deverão comunicar a situação à polícia, à Defensoria Pública ou ao Ministério Público.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos