Violência no RJ reverbera nas redes sociais, mas internautas quase não citam políticos cariocas

  • Por Jovem Pan
  • 08/08/2017 07h41 - Atualizado em 08/08/2017 10h50
Tomaz Silva/Agência Brasil Das quase 200 mil menções menos de 200 citavam, por exemplo, o nome do governador fluminense Luiz Fernando Pezão

As redes sociais reverberam a insegurança do Rio de Janeiro. Um estudo feito pela Diretoria de Análise de Políticas públicas da Fundação Getúlio Vargas mostrou que entre os dias 1º de julho e 04 de agosto foram feitos quase 200 mil posts em redes sociais de brasileiros mencionando questões de violência.

A maior parte deles envolvia a cidade do Rio de Janeiro.

A pesquisadora do Núcleo responsável por este monitoramento, Carolina Taboada, contou que, na verdade, esta ligação entre o Rio e a insegurança já vem ocorrendo de forma intensa há pelo menos um ano.

Porém, episódios como a chegada das Forças Armadas ao Estado e tragédias como a morte do bebê Arthur, baleado ainda na barriga da mãe, impulsionam a desesperança com a situação carioca e fluminense como um todo.

Mas a pesquisadora explicou que os pesquisadores observaram uma questão curiosa neste debate virtual: “uma coisa que acho que chama atenção é o baixo nível de menção aos atores políticos e órgãos de governo que são os responsáveis pela construção da política de segurança no Estado do Rio”.

Das quase 200 mil menções menos de 200 citavam, por exemplo, o nome do governador fluminense Luiz Fernando Pezão.

Por outro lado, as menções colocam o Rio como um lugar que seria muito bom se não fosse tão violento e mostram uma visão fatalista, como se o Rio de Janeiro não pudesse mais ser diferente do que isso que este que aí está.

*Informações da repórter Helen Braun