Vítimas do incêndio em São Paulo começam a receber auxílio-moradia

  • Por Jovem Pan
  • 09/05/2018 09h57
Leon Rodrigues/SECOM116 famílias que moravam no Edifício Wilton Paes de Almeida e que estão cadastradas pela Secretaria Municipal de Habitação foram convocadas para receber o benefício

Nesta terça-feira, a Prefeitura de São Paulo iniciou o pagamento de auxílio-moradia às vítimas do incêndio do edifício Wilton Paes de Almeida, que pegou fogo e desabou no dia 1º de maio.

Pelo menos 116 famílias que moravam no prédio e que estão cadastradas pela Secretaria Municipal de Habitação foram convocadas para receber o benefício, pago pela companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano, do Governo do Estado.

Mais 94 famílias que moravam nos imóveis interditados foram cadastradas e também receberão o benefício.

É o caso da auxiliar de serviços, Keliane Silva, que morava no 3º andar do edifício Wilton Paes de Almeida e que foi ao CDHU receber o benefício. Ela explica que é mãe de 5 filhos e o dinheiro é insuficiente para alugar uma casa. “A gente não quer dinheiro emergencial. A gente quer a nossa moradia. O governo está gastando com auxílio, mas se colocar a gente num prédio, nós vamos ter trabalhar para pagar. Mas vamos pagar com prazer porque será uma moradia nossa”, disse.

Muitos moradores do prédio que desabou e que estão acampados em frente à Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos reclamam que não estão cadastrados para receber o benefício. O morador Rafael Alves Ribeiro, disse que estava no imóvel há 4 anos no apartamento 18, que ficava no 1º andar.

Ele lamenta que nem o nome dele e nem da esposa, grávida de 7 meses, apareçam na lista de moradores do prédio. “Meu nome não está na lista. Nem todos que moravam no prédio estão na lista. Tem que rever essa lista”, declarou.

Ele reclama ainda que muitas pessoas estão aproveitando da situação para afirmar que moravam lá, só para ganhar o benefício.

Segundo a Prefeitura, as famílias que tiveram os imóveis interditados e não foram cadastradas devem procurar a Central de Habitação, na avenida São João, 299, para encaminhamento do atendimento habitacional.

*Com informações da repórter Natacha Mazzaro