Votação para novo procurador de Justiça de SP será neste sábado

Apenas dois candidatos estão concorrendo: Mário Luiz Sarrubbo e Antonio Carlos da Ponte

  • Por Jovem Pan
  • 04/04/2020 08h59
DivulgaçãoAo todo, 2 mil promotores e procuradores vão participar da eleição virtual

Está marcada para este sábado (4) a eleição para escolher o procurador-geral de Justiça de São Paulo. Desta vez, diferentemente das demais, apenas dois candidatos estão concorrendo: os procuradores Mário Luiz Sarrubbo e Antonio Carlos da Ponte.

Mas não é só por esse motivo que a corrida ao comando do Ministério Público paulista está diferente. Com a pandemia de coronavírus, os candidatos precisaram trocar as viagens de campanha por reuniões feitas em casa, por videoconferência.

O procurador Mário Luiz Sarrubbo diz que até o 17 de março conseguiu visitar mais de 100 comarcas, mas depois disso, precisou recorrer à tecnologia. “Esses encontros tornaram-se virtuais, pelo computador, internet, e também acabaram sendo produtivos”, afirma.

O procurador Antonio Carlos da Ponte destaca que a campanha precisou ser reinventada neste período. “Nós fomos obrigados a nos utilizar de ferramentas digitais. Por uma plataforma própria, realizamos reuniões virtuais, além de e-mails, vídeos e o próprio Whatsapp da correspondência regular.

Em relação às propostas, Sarrubbo enfatiza que quer construir um canal de comunicação com a população, para identificar os assuntos prioritários. “A partir daí, podemos construir um plano de atuação que nos traga maior estratégia e solubilidade!.

Sarrubbo diz ainda que também pretende promover uma integração maior entre a primeira e a segunda instâncias, além de fazer com que o MP tenha uma atuação melhor nos tribunais superiores.

Já o procuraor Antonio Carlos da Ponte defende que é preciso combater mais fortemente a criminalidade no estado de São Paulo. “Nós entendemos que isso é possível desde que o MP atue na forma de agência, que exige uma integração entre promotores e procurados, buscando o enfrentamento dessa chaga social”, explica.

Além disso, Ponte quer criar um estatuto da vítima e dar mais destaque para as promotorias regionais, que atuariam em áreas como saúde, meio ambiente e educação.

Em São Paulo, a lei determina que o governador deve escolher os três candidatos mais votados pela categoria. Ao todo, 2 mil promotores e procuradores vão participar da eleição virtual.

João Doria, no entanto, não precisa respeitar o resultado da votação para escolher quem vai substituir o atual procurador-geral de Justiça, Gianpaolo Poggio Smanio. O eleito terá um mandato de 2 anos, para o biênio 2020 e 2021.

* Com informações da repórter Nicole Fusco